No interior do Norte

Desculpem.... mas este blog é apenas para pessoas inteligentes! Se não é o seu caso, peço lhe suavemente que se retire. Desculpe o incómodo!

segunda-feira, setembro 18

OUTONO



A luz diurna vai entorpecendo lentamente. Os dia ficam mais noite. Mais doces.
Lento, o Ocaso vai se apoderando de Nós.
Num suplicio consentido, o corpo moldado e esculpido nas brisas do demo cobre-se de vestes , despertando da histeria - da ressaca - e acorda para o pejo. Do palavrão e do ritmo frenético , avançamos para a intimidade e aos longos silêncios de contemplação. Apetece-nos um chá. Negro, de plantas ou frutos… até mesmo só de agua e limão vertido numa velha e démodée almoçadeira de louça enegrecida no contar de anos que nos aquece as palmas das mãos em prece.
Balançamos num velho cadeirão de madeira gasta ,envelhecida, com uma manta de avó a cheirar a ternura nas nossas pernas .
No embalo sonoro do cadeirão, revemos tempos idos quando a existência era um deslumbramento constante… Os sons de Miles soltos num velho vinil envolvem o aroma da sala e fazem a ponte….
Lembramo-nos então das antigas almas que permanecem em nós tatuadas e quase sem sentido…. Que é feito delas??? Desses velhos companheiros que julgamos que o mundo acabaria sem sua presença….Desses heróicos cigarros fumados juntos no átrio da escola nos intervalos que despertavam conversas loucas e discursos idiotas, que soltavam gargalhadas inocentes e puras … intermináveis…Que só a campânula estridente punha fim…quando punha….
Dessas tardes etílicas , perfumadas e reveladoras em que Baco se sobrepunha á racionalidade com discursos inebriantes vindo da boca de oradores ingénuos…
A manta de retalhos que nos envolve é bem mais vasta. ….Traz beijos e carícias .
Beijos longos, repletos de inocência e excitação. Beijos molhados, de cuspo solto e corpos atiçando-se em brasa na candura do momento que não ousávamos completar na inexperiência… Traz esses longos e doces passeios de mão atada …..Quando Amo-te era uma palavra IMENSA e demasiado naïf …
Traz sons e letras…poemas e promessas…e mentiras…. Aquelas que dissemos como verdades absolutas no desconhecimento total do amanhã vindouro….

Onde jazem tais almas??? Quem as aniquilou? Quem serrou esses troncos fortes e cheios de seiva que um dia formaram floresta densa e impenetrável? Que nos protegia...
Quem rasgou os acordos selados com palavras e vento?
Onde descansam esses mapas do tesouro escritos a sangue????
Silencio!!!!!!Deixamos as memórias , como vinho caro , a decantar num jarro aberto e sorvemos novo gole da cálida e doce água com casca de limão ….
Há um frio ameno que apela ás malhas e ao interior. Ao aconchego.
Há um pedido que surge do granito cru e exposto á intempérie suave na montanha da mente…. Um pedido á serenidade. Á redescoberta de nós!
A agulha que solta o som melancólico , levanta-se anunciando o fim do lado A.
Pousamos a chávena e deixamos o cadeirão a balançar só. Enrodilhamos a manta sobre si própria. Amachucada! Descemos do sótão ao primeiro piso e sentimos a chuva límpida a estatelar-se na avenida. Sacudimos o pó que nos embranquece parcialmente os cabelos…
Encostamo-nos á porta-janela de numerosos quadradinhos de vidro que ilumina a sala e revela o mundo. Em contemplação…
Os Candeeiros da rua acendem-se adivinhando a noite…em magia…

-Papá…Vamos embora?
Uma lágrima doce há-de desprender-se de nosso rosto como as amareladas folhas que caem do plátano aqui defronte.
A vida segue….

48 Comments:

Blogger Sofia said...

Sabes Paulo? Fizeste-me chorar. Tão lindo, tão lindo, tão puro....

6:49 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

adoro a tua literatura de palavras vivas, apelativas, quase corpos, tão irresistíveis... obrigada pela melancolia doce, pelo olhar atento, por essa humanidade toda desesperada de se expandir violentamente contra os fronteiras de cada espaço.
parabéns sinceros

10:16 da tarde  
Anonymous hope said...

FABULOSO!
Um post Digno de um espaço maior!!!
Todos teus posts são de um jeito ou de outro uma surpresa!!!
Mas este arrebatou-me!
Nem sei mais que te diga!
Adoro tua escrita! Tua alma!

12:39 da manhã  
Blogger eu mesma said...

... "com uma manta de avó a cheirar a ternura"... foi a expressão que mais me tocou. Eu tenho uma manta dessas, uma manta feita pela minha avó: uma manta que me aquece nos dias frios, que me aconchega quando estou doente, que me transporta aos tempos em que a minha avó estava viva... chamo-lhe a manta mágica.

O resto do post...está fantástico. Nada a acrescentar.

Um beijinho

1:16 da manhã  
Blogger Sunshine said...

Li... re-li e senti como se tivesses estado ao meu lado, lido os meus pensamentos e descrito cada um com a perfeição de quem leu a minha alma.
Voltei para a primeira vez á terra onde foi criada, estes sentimentos não me são estranhos... as memórias são da mesma essência... inocência de um tempo que já passou.
Confesso que com este post as lagrimas cairam... por tudo o que não tenho conseguido descrever e dizer... mas aqui está... as tuas palavras equivalentes ao que se passa dentro de mim.
Obrigada...
Em qualquer outra altura iria adorar este post, mas agora mais que nunca diz-me algo profundo.

2:28 da manhã  
Blogger Vanda Baltazar said...

Belissimo esta partilha...quase me apetece gritar que a alma, a nossa alma continua lá, muito embora quase asfixiada com as mantas que vestimos ao lobgo da vida...!!

Gritar porque se sente a vontade dela de se libertar!

E mais uma manta é posta, para não se ouvir o queixume...

Um beijo

Van

11:36 da manhã  
Blogger Vanda Baltazar said...

Ah! talvez valha a pena ires até aos meus arquivos de Maio e leres a manta...que la deixei :))


E...agora...vamos todos pintar a manta? :))

A vida não para, mesmo :))

Van

11:39 da manhã  
Blogger Gracinha said...

Olá vim com ideia de te lançar o desafio da etiqurtagem, mas pelo que vi ja cheguei tarde,lol...Gostei de saber um pouco mais sobre ti!

Beijinhos

12:35 da tarde  
Blogger mac said...

Óh camarada, as férias deixaram-te mais intimista :-)
Está lindo...penso muitas vezes nessas pessoas que passaram na minha vida, pessoas que tiveram muito significado numa dada altura, e depois, por uma razão ou por outra, fomo-nos afastando. Por vezes fico triste a pensar nesse afastamento, mas por vezes penso que a a vida é mesmo assim. Feita de encontros e desencontros...

4:06 da tarde  
Blogger vero said...

Olá Paulo,
venho agradecer e retribuir a visita k fizeste ao meu blog! Muito obrigada...
Dei uma vista de ohos pelo teu e gostei muito. Voltarei c mais tempo!
Beijinhos***

5:37 da tarde  
Blogger Irritadinha said...

Começo a pensar com mais frequência na introdução do teu blog e a questionar-me se terei intelegiência suficiente para comentar os teus post's. Brilhante.
Beijo

6:26 da tarde  
Blogger EMN said...

PURO! é a palavra que me ilumina a mente, assim que acabo de ler a tua apaixonante narração. Amei cada palavra, cada descrição. Uma lágrima espreitou mas não caiu de tímida.

Vou beber um chá, de preferência de Jasmim.

Beijos

emn***

6:36 da tarde  
Blogger Maria Araújo said...

E de mim agora também escuou uma terna lágrima...
Levas-te a tua mão ao meu coração e bastou que o apertasses um pouquinho para que ele quase me saltasse pelo peito fora...
Foi lindo,sem possível descrição,a sensacionalidade de momento que me acabas-te de conceder!E com esta banda sonora que me faz carinhosos mimos nos ouvidos...oh..os meus supspiros propagam-se numa eterna imensidão...
O meu sincero obrigado!...

7:48 da tarde  
Blogger an ordinary girl said...

Olá Paulo. Vim aqui para te dizer que já podes ir de novo a meu espaço mas depois de te ler mais uma vez a minha reacçao é parecida com outra que já li aqui: não sei se tenho inteligencia suficiente para te comentar.
Apenas te digo que amei este teu ultimo post onde sobressai o que talvez de mais bonito e valioso tu terás: uma sensibilidade sem principio meio e fim.
Desculpa-me meu strip ser tão pobre e tão tosco mas ando numa fase assim: pouco inspirada.
Retribuo todos teus beijos com igual ternura!!

fatima

12:50 da manhã  
Blogger Stella said...

'when you sit right down in the middle of yourself
you're gonna wanna have a comfortable chair
so renovate your soul before you get too old
cuz you're gonna be housebound there
when you're old you fold up like an envelope
and you mail yourself right inside
and there's nowhere to go
except out real slow
are you ready, boy, for that ride?'

Desculpa, mas acho que isto reflecte bem a nostalgia da vida e o saudosismo... quando o nosso 'envelope' enche,começamos a escrever só pra nós, respirando as recordações que um dia nos fizeram sorrir... O outono é nostálgico...mas eu gosto!
Parabéns pela beleza da tua escrita.
**

1:14 da manhã  
Blogger Cristiano Contreiras said...

Gostei!

Plenos sentires teus!

3:56 da manhã  
Blogger Tiago said...

Realmente o Outono tem coisas que o Verão não compreende. Coisas que no Verão são banais, materiais, parecem descartáveis, no Outono tornam-se algo precioso, inalcanlçável, sobrenatural... O Outono tem uma força devastadoramente influente, esmagadora...
Bem, só dizer, claro porque eu sou do contra (lol) é que o Outono só começa oficialmente 2 dias depois da publicação deste post...

Fica bem, camarada!

9:57 da manhã  
Blogger Dafne said...

"A vida segue"..
Só desejo que continues a seguir neste caminho tão lindo, tão puro, de fazer magia com as palavras, de tocares lá fundo na nossa alma...
Parabéns!

11:14 da manhã  
Blogger Ana Sousa said...

Não chorei tal como algumas pessoas aqui, mas confesso que me emocionei... :)

O outono...

12:50 da tarde  
Blogger Et said...

Venho aqui apenas agradecer-te a visita. Li apenas este teu texto e, confesso, li-o na diagonal, não como ele merece.
Prometo voltar com mais tempo para colocar a leitura em dia.
Em relação ao Outono... digo apenas que adoro ver as àrvores vestidas com aquele castanho avermelhado... :)

Bjs

2:03 da tarde  
Blogger Sophie said...

... não tenho mais o sol comigo durante os dias. Sou uma solitária correndo atrás de algo... um vento sumido de alma, com gotas de saudade e recordação.
Desejei muito calcular-me sem tempo. Duplicar a minha história em três mais valentes. Mas caí no chão, com as lágrimas a correrem-me pela face.

O meu mundo perdido numa lágrima agarrou-se a este teu "Outono"... e eu por instantes voei!

Um beijo _______ meu.

2:24 da tarde  
Anonymous Marta C. said...

uma lágrima correu.
Agradeço-ta! Nem sabes o quanto!
Este post é maravilhoso!
O mais belo que fizeste.
Amei!

um beijo Outonal!

2:39 da tarde  
Blogger Ruby Sackville-Baggins said...

A sociedade tratou de "abafar" todos aqueles que nunca pensaríamos perder. Deixou de se olhar para trás, para o que se viveu, para o que se foi.
As coisas tornaram-se mais complicadas, mais borocráticas. A simplicidade perdeu-se. Porque complicar é uma forma de defesa!

Eu ainda estou a passar por esse "Outono" em que os risos, e os sorrisos, são genuínos, e que as preocupações são leves. Pelo menos para alguns é assim...

Vou fazer hoje a minha tarefa!! Vamos lá ver.

PS. Era deste género de texto que se devia ensinar na escola :)

6:00 da tarde  
Blogger Mixikó said...

Olá Paulo,
cá estou de passagem...

fiquei encantada....

Fez-me "sair" e olhar para dentro de mim...tempo esquecidos esses...por ondem andavam?

Mais palavras seria estragar este quadro mágico.

6:10 da tarde  
Blogger Ana said...

Fez-me sentir saudades do frio...
Lindo como sempre!

6:43 da tarde  
Blogger justine said...

o silêncio é o meu melhor comentário para não estragar o teu post magnífico...

um beijo
justine

p.s. a greve já terminou :)

10:07 da tarde  
Blogger Lord of Erewhon said...

Todo o texto é perfeito, mas o final é um climax raro, que acrescenta uma nova leitura a tudo o que se leu para aí chegar.
Estás de parabéns.

P. S. Quanto aos «anónimos boateiros»... são uns palhaços de Coimbra que lhes dá na mioleira cheia de merda meterem-se com os gajos do Norte! Deve ser porque as gajas de Coimbra não fodem com eles!
E ainda por cima, apesar de já terem idade pra ter juízo, tudo quarentões... deu-lhes pra ir foder os cornos a um chavalo pelo qual tenho estima...
Enfim... há mais marés que marinheiros... e mil e uma maneiras de caçar coelhos!

Abraço.

P. P. S. O blog do rapaz: http://ars-moriendi.blogspot.com/
... a criatura de negro com um machado... sou eu.

10:51 da tarde  
Blogger Seila said...

não queres passar pelo meu poste?! rss Muito gosto em conhecer a tua escrita.

11:15 da tarde  
Blogger Luna said...

Bem...Paulo, tinhas razão adorei, tens uma forma linda de falar da vida, ainda que coisas simples, que nos seguem durante todo o sempre.
Eu penso que as " almas" permanecem puras dentro de nós ´so que amordaçadas, pelo caminho que vamos percorrendo
beijinhos

11:34 da tarde  
Anonymous Yaris said...

Fabuloso!
Amei cada palavra!
É simplesmente genial e tocante este post!
Preenche-nos!

1:39 da manhã  
Blogger Utzi said...

Muito bonito, dourado e sereno como o Outono :) Beijos

12:23 da tarde  
Blogger o alquimista said...

Lindo, tão cheio de humanidades, escrito com uma rara estética da palavra...

Forte abraço

1:19 da tarde  
Blogger Angela said...

Bem! Que agradável surpresa! Mal cheguei aqui fizeste-me logo rir com aquela coisa que tens escrita do lado esquerdo lá em cima!... Estás a ver?
Senti-me logo super inteligente!!!
Mas adiante...
Adorei! Tão simples quanto isso! A tua escrita é música... pintura... e até manjar dos deuses! E deusas claro!

Tenho que te agradecer por me teres encontrado. Obrigado por me mostrares a tua escrita tão viva e bela.

Já agora, gostei muito do post "Noite" de 1 de Agosto. Revela muita sensibilidade e inteligência, como tudo o resto mas esse especialmente (não sou só eu que tenho direito a sentir-me inteligente!).

E para finalizar... O teu Outono é mais quente do que o meu...

Beijinhos.

1:35 da tarde  
Blogger Vanda Baltazar said...

Nesta manhã outonal, um beijinho para ti!

Van

1:43 da tarde  
Blogger Ruby Sackville-Baggins said...

Bahhh!!! Ainda não vi nada o MacPhisto! Já estive com um dvd na mão, mas eu queria a edição especial e ainda não tinha! Os meus dotes de "fã incondicional" estão a falhar lololol

Supertramp, é claro que conheço! Gosto da "Dreamer" :)

Obrigada pelo teu comentário, fico sempre contente quando tenho o prazer de ter palavras tuas dirigidas a mim (^_^) lolol

Beijinho

6:01 da tarde  
Blogger lisa said...

Cada vinda minha aqui ao teu blog é uma descoberta.
Gosto muito de te ler.
E mais uma vez parabéns pelo fantástico texto.

Beijo.

Voltarei.

6:17 da tarde  
Blogger venus said...

que saudades tenhos daqueles dias frios e chuvosos onde encontro aconchego junto a lareira e vejo as chuva bater na janela como que se comigo quisesse brindar.
amei o teu post e aproveito para retribuir o beijo quente que me deixaste.

6:35 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Desculpe, vou já sair, só agora vi que isto é só para quem sabe que é inteligente...

7:00 da tarde  
Blogger vida de vidro said...

É. A vida segue. Por muitos doces outonos de ternas lembranças.
Acho que li aqui uma das mais belas descrições do Outono (da natureza e da vida) de que me lembro. **

9:29 da tarde  
Blogger  said...

Hummm delicioso... o teu post fez-me apetecer enrolar-me na mantinha com uma bebida quente nas mãos, iluminada só pela luz da TV enquanto dá um bom filme mas baixinho para não abafar o som agradável da chuva a cair lá fora (que o Gordon, para não desiludir, fez questão de trazer)
Beijos e obrigado pelas palavras reconfortantes :)

9:58 da tarde  
Anonymous thelostend said...

Fantastico!
Um post doce e Outonal!
Perfeito!

Um abraço

1:24 da manhã  
Blogger Flôr said...

Todas as estações têm a sua beleza!

E o que escreves, É LINDO!!!

Gostei imenso deste teu "cantinho poético", continua... gosto como transmites o que vai "dentro de ti", de forma simples e "sentida"!

Vou voltar mais vezes, à isso é que vou....
:)

11:46 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Afinal qual é o teu problema com a dalia madruga?
És bicha, gordo, freak, anormal..
Não se entende tanto odio.. Que tal uma visita ao psicanalista???

4:13 da tarde  
Blogger Sea said...

:)
Um beijo

5:13 da tarde  
Blogger Flôr said...

então Paulo!.... não tens tido inspiração?!.... pena!!! Vá lá, "deita" cá para fora um novo poema...

um dia MUITO FELIZ :)

8:59 da manhã  
Blogger Flôr said...

o interior do norte, ficou mudo?!... :( que pena!...
Um dia cheio de luz para ti!

1:17 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

gostei de ver meu caro amigo!!!Um abraço >Luis Barroso

7:37 da tarde  
Blogger Erotic Spirit said...

Beautiful! ... just want to crawl up and let your words gently fall on my soul ...

hug

3:07 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Hoteis
Contador acessso
Medical Billing Software
Medical Billing Software