No interior do Norte

Desculpem.... mas este blog é apenas para pessoas inteligentes! Se não é o seu caso, peço lhe suavemente que se retire. Desculpe o incómodo!

segunda-feira, setembro 4

OS SONS DO SILENCIO



Completas quatro estações, O Mississipi cansou-se de improvisar acordes de jazz e andar á nora. Voltou sereno a caminhar no leito maternal a caminho do Oceano respondendo aos apelos de Tom e Huck.
Anunciado um ano antes pelo anjo Katrina a um Noé demasiado mouco e prospector de batalhas negras em reinos orientais, o dilúvio regressaria á terra na era do digital para revelar o segredo .
No solo do Dixieland , o rio esgotado e em regime , recupera as linhas esbeltas e apressa-se em galopar nos terrenos costumeiros , revelando cruel o ventre rasgado , as gorduras sobejantes e as cicatrizes profundas.
Em cada margem , nas fundações centenárias dessa Nova Holanda transposta para o reino de Colombo, não florescem tulipas nos estrumes desprezados na desolação imposta pelo místico caudal. No emaranhado de restos urbanos e carne podre , o tempo não decompôs a matéria em adubos ou fertilizantes capazes de gerar vida . Revelou em murmúrio o Segredo da miséria!!!!!!
Uma América inimaginável no século XXI. Uma América Negra e pobre no condado do Mississipi descambando nos escombros dessa Nova Orleans em absoluto e abrupto silencio. Uma América escrava nas fronteiras internas na então maior nação do Mundo!!!!
Enquanto Katrina rodopiava furiosa pela insensatez e arrogância de Noé, milhares corriam para o interior do gigantesco superdome transformando-o em catedral de fé e salvação .
As nuvens negras de dor despejavam ferozes lágrimas de raiva engordando o caudal. Este em convulsão , adjuvado por vozes ventosas silvando desgraças , rebentava diques e arrastava com força imparável a condição humana
Noé longínquo, não encetara esforços para construir a barca capaz de carregar a salvação. Maravilhado com o telescópio de Galileu, avistava ao longe areais sem praia que escondiam no ventre, em segredo, rios negros de seculares estercos auríferos. Benévolo a degladiar-se por eles, por cada gota que implacavelmente atestavam barris e moviam um mundo, ainda que em mentira! Na mentira.
Os milhares que se ajoelharam no chão , elaborando um imenso xadrez humano na mescla dos corpos unidos, oravam em crença , sabendo o logro. No limite das forças berraram a mensagem do corpo ferido antecipando uma América desigual no tratamento A súplica gigante não fora escutada. Ficaram sós num desafio de Fé. Mística e Humana.

Se chovessem bombas…dizia Hope, uma rapariga negra de 32 anos de encanto que só o desmazelo da destruição escondia e envelhecia seu rosto… Talvez eles viessem rápido…em socorro…
Hope era, circunstancialmente, cicerone da desgraça imposta e bandeira da Louisiana. Caminhava num bote de borracha e apontava no cume da percepção essa Atlântida imersa e silenciosa .Seus olhos não ousavam acreditar na miséria forçada, que indicava aos repórteres . Negava-se a ver desaparecer toda a baixa de New Orleans , berço do jazz e terra dos Bravos. Opunha-se a ver em ruínas toda a arquitectura centenária de uma Europa importada e repleta de contos e historias de sangue e suor e que albergara movimento.
Hope, não conseguia explicar por palavras a atitude daqueles que permaneceram no interior do que era seu até que o ultimo fio de vida os percorreu . Sabia-o no seu íntimo. E quando interrogada sobre a intempérie de proporções astronómicas que araram e dizimaram seu estado, respondia apenas:
- Sabe… Com a desgraça e o luto aguentamos bem… Não entendemos é a indiferença.


Um ano depois Noé regressou em remorso á terra mutilada para construir a barca. E de novo lhe virou as costas. Não trazia estopa e resina bastante para estancar e vedar as feridas deixadas abertas pelo desmazelo. Não trazia cânticos para o divino capazes de curar as chagas dos vivos.
Trazia consigo um sorriso cínico e palavras de profeta descrente de tão ocas e repetitivas. Quando falava…. Incendiava o Mississipi. Não trazia percepção ou humildade. Fora a aconselhado a partir. Já não havia nada a fazer na profecia incumprida.
Os rostos dos seus que o miravam, apontavam-lhe o dedo com o olhar …
O mirrado Noé abandonou o povo ,escoltado e sem entender…
Não entendeu as vozes negras e poderosas de mulheres a entoar em tom apaixonado “cry me a river”….
Não percebeu esses acordes eternos que soavam em surdina em todos os cantos que a trompete de Amstrong insistia em soltar. Esse magnifico e maravilhoso “wonderfull World” que Louis porfiava em libertar para acompanhar as palavras do sonho de Luther ou a imaginação do Lennon. Alheios a um Noé que de novo abalava e que transformou as tábuas da barca encomendada em caixões sombrios que sepultaram almas, mas não a segregação. Ou o Obvio.

41 Comments:

Blogger mac said...

Nem todas as cidades têm a sorte de ter um Giuliano a governá-las, nem todas as cidades são a "capital financeira do mundo", nem todas as cidades são chamadas de "a cidade que nunca dorme". A desgraça de N.Orleães não iria trazer a catástrofe financeira ao mundo, por isso puderam dar-se ao luxo de se lixarem com ela.

7:45 da tarde  
Blogger mac said...

P.S: Foste etiquetado por mim. Vê lá se escreves alguma coisa, mais que não seja para saciar a curiosidade aos teus inúmeros fãs.

8:28 da tarde  
Anonymous Marta C. said...

post intenso que assinala verdadeiramente o regresso do génio. Verdades assombrosas que não podem ser escamoteadas e que poes a nu numa escrita fabulosa!
Parabens!!!!

um beijo

12:35 da manhã  
Anonymous Pedro Gomes Souto said...

fantastico. Este post toca! faz-nos meditar.
Parabens!

Um abraço

1:38 da manhã  
Blogger Lord of Erewhon said...

Muito interessante o blog.

1:41 da manhã  
Blogger Ana Sousa said...

Tocas-te num assunto que pessoalmente me entristece...
Uma parte de mim continua nos USA e apesar de não concordar com a politica gerida neste país, atinge-me fortemente os acontecimentos que lá acontecem...
O Katrina foi uma desgraça enorme pois além de ter trazido destruição e misérias para inúmeros inocentes, trouxe também a fraqueza de um país governado por gente hipocrita e sem coração.

...

Gostei do texto Paulo. As usual :)

11:36 da manhã  
Blogger Utzi said...

Se ao menos alguns tivessem um pedacinho da tua assombrosa sensibilidade, este mundo poderia evoluir qualquer coisa... Beijos e parabéns por este magnífico texto.

3:01 da tarde  
Blogger eu mesma said...

directamente da complicolândia.... pontuação máxima pelo post! JOkinhas

4:38 da tarde  
Anonymous Kika said...

post forte e reflexivo! Intenso e repleto de verdade!
Amei!

Beijo

5:16 da tarde  
Anonymous hope said...

Tocante! Não me deixa indiferente. Penso que esse Noé anda entretido demais. tem que ser urgentemente deposto antes que faça mais merda!(desculpa a linguagem).

Paulo, pensa verdadeiramente em publicar algo. A tua escrita é verdadeiramente fantastica!

5:20 da tarde  
Blogger an ordinary girl said...

-Escreves bem, escreves bonito e escreves verdade.
-Elucidas, emocionas e fazes pensar.
Os outros não sei, mas eu sou tua fã. Por isso desculpa-me minhas ausências: são desgastes e cansaços ocasionais, pontuais. Da vida.

Mas passam-me sempre, esses desgastes e esses cansaços.
Quero dizer: não me passam, eu é que os venço!!

Beijosssssssssssssss, meus para ti.

7:15 da tarde  
Blogger Rafaela said...

Paulo,
não sei o meu QI, mas decidi arriscar ler alguns dos teus textos e devo dizer que não me saí mal ;)

Este texto, pessoalmente, não me deixa indiferente: quem não se lembra do Katrina a lamber as ruas e as casas, levando consigo infra-estruturas e vidas atrás de vidas? Quem não recorda a consciência cruel e fria dos que poderiam ter feito qualquer coisa e se aconchegaram nos sofás de casa? Quem esqueceu os olhos tristes e os choros das crianças que não viam os pais por perto?
Eu não esqueci...

Mas ainda bem que se ouvem vozes no meio de tanto barulho. Gostei que tivesses falado de Louis Armstrong, de Jonh Lennon e de Martin Luther King. É sempre bom recordar aqueles que marca(ra)m pela diferença...

Um beijo, Paulo,
obrigada pelas amáveis palavras nos fragmentos...

8:06 da tarde  
Anonymous Mafaldinh@ said...

Não tenho palavras....
Texto Fabuloso.
guardo-o em mim!

beijos

1:20 da manhã  
Blogger Gracinha said...

Aceitei o convite e vim até cá.
Pelo que assisti, temos escritor, muito bem, parabéns.

Vou passando para ver as novidades, um beijinho

3:16 da manhã  
Anonymous Daniela said...

regresso pleno do meu contador de historias preferido!
Este post assinala verdadeiramente teu regresso!
Genial!

um beijo

10:25 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

simplesmente genial!!!!
Parabens ao autor do Blogg!

4:56 da tarde  
Anonymous Thelostend said...

paulo um post que me faz meditar. Tambem eu não esqueci a devastação do Katrina.
Tambem eu vi o circo do Noé Bush.
Parabens!

4:58 da tarde  
Blogger Irritadinha said...

Convite feito, convite aceite. Fiquei fã do blog, é fantástico . Vou linkar o teu blog, esperoq ue não te importes. Sem dúvida é impressionante o país mais rico do mundo que aponta o dedo tantas vezes a outros países está-se nas tintas para o que aconteceu em Nova Orleães. Parabéns pelo blog (obrigada pelo comentário).

beijo

7:30 da tarde  
Blogger Martek@x said...

Gostei. parei aqui porque tem o nome igual ao meu pai, Paulo Santos...
beijinhos... Marta Santos

8:40 da tarde  
Blogger vida de vidro said...

Aquela parte da América não tem nada a ver com a América desse tal Noé (não insultes o Noé, coitado!). Uma cultura diferente, pobreza real, maioria negra...´são tudo handicaps que impedem um Noé bastante idiota de entender como fazer a arca que os salve.
Gosto da forma como agarras nestes assuntos, à laia de fábula. **

10:55 da tarde  
Anonymous Underground said...

Pleno!!!
Arrebatou-me!
Parabens Paulo:
beijo

1:23 da manhã  
Blogger Diana said...

este Noé do século XXI.. e tenho o pequeno pressentimento que vamos precisar mais do que 1 barca para nos salvarmos.. :\

e nunca hei-de perceber como é que na Terra da Prosperidade reina tanta indiferença e discriminação..raios partam as pessoas..

1:40 da manhã  
Blogger Sunshine said...

Sobriver na decadência e na desgraça... Tentar recuperar uma cultura conhecida e perdida nas águas da mágoa e lágrimas de um povo que preciso de todo o apoio possivel para reconstruir.
Um pedido de solidariade por quem vê a sua vida se perder com as águas...

Parabéns pelo texto fantástico!!!

PS. Achei piada que mais uma pessoa parou por aqui pelo teu nome. Estou convencida que o país esta enundado com Paulo Santos... cada um de certeza é a sua própria pessoa com a sua própria individualidade no entanto consigo associar algumas similaridades: contadores de histórias, ver alem do olhar, terminar sempre com a ultima palavra :)

5:43 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Este texto esta simplesmente espectacular! Pleno como alguem disse.
Tocante e extremamente e subtilmente bem direcionado.
E embora concorde parcialmente com o comment da "vida de vidro" não deixa de ser parte integrante dessa America que ao que parece não é assim tão una!
Paraben Paulo

Uma admiradora Tua.

11:34 da manhã  
Anonymous Paulo J. Pires said...

Parabens pelo teu regresso aos posts!
Um abraço

3:16 da tarde  
Blogger Daniela said...

- Sabe… Com a desgraça e o luto aguentamos bem… Não entendemos é a indiferença.

Gostei muito deste post porque fiquei revoltada com o que aconteceu em N. Orleães. E ainda fico por saber que ainda há gente sem casa e sem ajuda e que se deram ao luxo de construir um potente casino. por exemplo.
beijos

4:41 da tarde  
Blogger Elisheba said...

Ora viva, Paulo. A correr, num breve salto, vim agradecer-te a visita e dar uma vista de olhos aqui pelo teu canto. Gostei! Ainda não posso ler o post que me recomendaste pois é longo e preciso de tempo, coisa que nao tenho agora.Voltare.Promtido.
Abraço e volta sempre!!

5:06 da tarde  
Blogger conchita said...

Gostei muito do que li. É tudo da tua cabeça?!. Eu, infelizmente, não tenho essa capacidade.
Muito obrigada pela tua visita ao meu blog :)

5:29 da tarde  
Blogger Ana said...

Nem sempre as palavras são suficientes para acalmar a multidão revoltada... Às vezes nem um gesto...
Mais uma vez adorei!

5:56 da tarde  
Blogger Musician said...

Este assunto deixa-me triste :( Mas gostei muito!

Venho deixar-te um grande beijinho*

9:49 da tarde  
Blogger Luna said...

Passei pela primeira vez neste teu cantinho, fiquei maravilhada com a tua escrita,hoje já é tarde , mas vou ter de passar com tranquilidade para te ler com calma
fica bem

11:36 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Brilhante post! Navegas num tema que ainda hoje envorganha a america!!!
Adorei Paulo!

M.ª Luisa

12:19 da manhã  
Blogger o lápis said...

Escrito com mestria.

E a sensibilidade oposta à indiferença.

Marcante.

Se tu pudesses mudar o mundo...

Van

12:51 da tarde  
Blogger MalucaResponsavel said...

ola,
gstei bastante deste texto, da forma verdadeira - e sarcastica - como relataste os acontecimentos q ocorreram no Katrina... (qt ao meu texto, qd li o teu comentario, sorri. tb partilhaste as "antenas" c alguem? dcp ter aberto uma ferida q n esta cicatrizada, mas n podia deixar de partilhar isso. :) e tb sbs q vou ser Mordoma. :) conta lá q terra com pedras em granito é q t faz ter tantas recordaçoes?, se n for pedir demais. bj)

2:01 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Parabens!

4:41 da tarde  
Blogger missixty2000 said...

Ptontos já aqui estou, não te esqueci,mas tenho andado ás voltas com um poema, sinto-me bloqueada, ou entao ando demasiado exigente!
Está excelente, um texto forte que encerra verdades escondidas.
Mais uma coisa, tens aí um elogio que não deves ignorar," o lord...", para ele dizer que o teu blog é interessante é porque conseguiste toca-lo!E olha que tocar pedra não é qualquer um que consegue...
beijos

7:38 da tarde  
Blogger justine said...

excelente este teu texto...

obrigada :)

um beijo
justine

11:48 da tarde  
Blogger dreams said...

há certas alturas em que a descrença atinge o limite...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

1:16 da manhã  
Blogger Besnico di Roma said...

… e aqui temos um bom exemplo de como se pode criticar duramente, mas com a força da elegância de quem é educado e sabe escrever.

2:54 da tarde  
Blogger Erotic Spirit said...

My dear friend... do u know me?
I have reached deep within my soul ... I'm so disturbed by your writing - u know me! U have to!

But today is not a good day... just wish people were more like u,
wish that I would truly know u
and could cry today on a friends shoulders without questions nor words... just be sad for a little

but this is good ... thank u

1:50 da manhã  
Blogger Erotic Spirit said...

My dear u truly disturb me... feel so vulnurable after I read anything u write... it is as if u r drag my soul into these posts and I cannot explain it... don't know u think I never meet u but yet saudade feels me everytime I read u, it is as if u have a gift that I though only God has... tears roll down my face when I read u ... emptyness feels me and I cannot explain how can a stranger have this capacity to touch me ... never in life has anyone have such and effect on me
I am speechless and honestly scared...

12:20 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Hoteis
Contador acessso
Medical Billing Software
Medical Billing Software