No interior do Norte

Desculpem.... mas este blog é apenas para pessoas inteligentes! Se não é o seu caso, peço lhe suavemente que se retire. Desculpe o incómodo!

sexta-feira, julho 28

DOCE MEL



Enquanto a vida segue brusca na cara dos transeuntes - que só consegue arquitectar , pousa o saco pardo , senta-se e pede de soslaio uma bica. Acende um cigarro e imagina o esvoaçar do fumo espesso , mais espesso que o creme ténue e acastanhado do expresso que aos encontrões é amarado na mesa . Pousa o cigarro , adoça o café e solta o cabelo e o pensamento .Esfrega os olhos com as palmas das mãos , suavemente , na tentativa de desembaciar a realidade que seus olhos não vislumbram. Maria , 25 anos , cega. Este é o seu bilhete de identidade. Tirando o inevitável contar de dias, afundar de rugas, seu documento era vitalício… Gostava do seu Nome, seu sexo e a esperança de ver perdeu-se á nascença. Não havia muito a mudar!
Por vezes, muitas vezes, encontrava-a triste neste mesmo café , aonde entre colisões nos encontramos antes do relógio de ponto - infalível - estar activo.
Sorvo dois goles de café cálido e fito-a sabendo que me observa. Nunca trocamos mais de 2 palavras… um atabalhoado bom dia, ou um inquisitório “tudo bem”…envolto numa paz social…e num sorriso incógnito e sincero….
Mas hoje pedia-me mais… reclamava presença….determinado, aproximo-me da mesa onde sozinha devora a bica e o cigarro…puxo pela cadeira…. Posso?
-Senta-te!
-Chamo-me…
-Eu sei como te chamas… já te vi por aqui varias vezes… respondeu.
-já me vistes?? – Retruco…. surpreendido…
Sim, Sou cega…Não sou deficiente …nem tão pouco “diferente” como essa espelunca do jet7 , do mundo bonitinho , nos querem chamar ….muito gracioso para a câmara coscuvilheira, quando em directos solidários querem apelar á lágrima fácil e o protagonismo obvio … mas não se apercebem que nos insultam…que nos minimizam…que nos humilham… Não sou “diferente” sou igual!
Parou…sacudiu rudemente o cigarro no entupido cinzeiro que sentia no aroma…. Bebeu doce mais um pouco de café e continuou a revelar-se ….
Sim , cega… não invisual….Nunca enxerguei o mundo a cores nem tão pouco a preto e branco…Vejo-o e viajo nele através dos cheiros, sons e sabores e imensas sensações….… tacteio o teu rosto do jeito que tu vez o meu….observo o branquear dos cabelos da minha mãe lendo as funduras da terna face….fujo das ondas quando as sinto aproximar , quando o aroma do mar m´as avisa … e vejo o imenso farol no cabo da esperança pelo zumbido eléctrico e cíclico do rotor da luz…. Em toda a sua imponência! Sim… Já te VI várias vezes por aqui….
-Eu vejo a tristeza em ti…
-Tás Certo…mas se não te importas não quero falar sobre isso… precisava apenas de sentir calor humano neste enregelado lugar …que me desse alento neste obscuro despertar diário … por vezes canso-me da solidão quando todos os demais comentam o golo que não entrou , o aumento da gasolina…as curvas da nova secretária ….ou quando me olham de cima para baixo, abanando o pescoço , lamentando ou reprovando a minha sina…. Gostei imenso deste pedaço que me consagras …soltei a alma…. Agradeço -te…
Levanta-se e estendendo o dedo chama o birrento garçon para terminar a estada… O rapaz entre dois berros para o balcão , diz-me que a minha bica tá paga….Olhei-a….
-Não és desses pois não? – questiona-me sarcástica , mesmo quando ainda me encontro a acordar desta estranha e fascinante revelação…. Desses o que???
-Que levam a mal que uma mulher pague a despesa….riu-se ….
-Não … respondo rápido sem ligar sequer a isso…. Ainda não me deste todo teu nome….
- Maria… Maria da Luz…. Irónico não é?? E afastou-se altiva, num passo certo e apressado adivinhando a hora do labor.
-É pois… pensei , já sem tempo para lhe dizer o que quer que fosse… não que ela não me (ou)visse no que tinha para dizer… faltava simplesmente o que dizer !

Hoje, fumava um cigarro suave, apoiando os braços no parapeito da janela com vista para o teatro da rua. Na quietude do esmorecer do dia , vi Maria sair de um carro . Trazia na mão direita um bouquet de pequenas flores silvestres que só ela conhecia e do qual se soltavam pequenas pétalas que esbarravam escuras no passeio. Maria abraça um homem com o braço esquerdo, apertando-o forte contra seu ventre… enquanto o beija nos lábios , apaixonadamente, prometendo o bailado do beijo e do corpo.

Timidamente, com um certo embaraço e pudor….corro a persiana.
Não quero ver. Não por ciúme ou o que quer que seja…. Simplesmente porque estes momentos querem-se na paz do silencio e na solidão da partilha…sem espectadores….
Sento-me e velejo na musica que agora invade e adorna meu espaço ... Mais amplo e luzidio….
Num esgar de lábios, recordo-me da doçura do meu primeiro beijo….

Há “coisas” maravilhosas que só sabem bem , que só nos excitam e embalam os sentidos , com os olhos bem fechados. Na cegueira.

51 Comments:

Blogger Dafne said...

Olá
Vim aqui retribuir a visita que fizeste ao meu cantinho.
Obrigada pelo simpático comentário ao post.
Volta sempre, serás benvindo.
Um bom fds para ti.

Dafne

4:41 da tarde  
Blogger peace_love said...

um conto lindo.
Não tenho mais palavras para o descrever.

5:15 da tarde  
Blogger Fábio Costa said...

Excelente como sempre! Ao teu melhor nivel!
Um abraço!

6:21 da tarde  
Blogger Ana Sousa said...

Há algum tempo que por aqui não parava... Mil perdões!
Nem sei bem que dizer, fiquei mesmo sem palavras... Conseguis-te pôr-me a refletir sobre a vida!
:) Lindo!

6:22 da tarde  
Blogger eu mesma said...

... (não tenho mais adjectivos para classificar os teus posts).
É favor continuar assim!
Já reservei lugar no ciberespaço para a leitura do próximo post...

8:40 da tarde  
Blogger vida de vidro said...

Excelente texto, pleno de sensibilidade e entendimento humano. Uma beleza.
Obrigada pela tua visita.**

9:58 da tarde  
Anonymous Marta C. said...

sentei me e pela primeira vez em algum tempo meditei.
Não to vou jurar, não preciso, mas digo te que este post me tirou da banalidade! É magnifico.
se eu , por um momento que fosse tivesse duvidas da tua genialidade.... este post TUDO dissipa.
É um jeito estrondoso de desnudar e de tocar no fundo do drama dos deficientes!
Por vezes, a maior parte das vezes somos verdadeiramente nós -sociedade- que os minimizamos!
Desculpa, ainda tou meia atordoada!nem consigo commentar direito.
Obrigada Paulo por este magnifico e unico Blogg aonde verdadeiramente fazes algo!

Um imenso Beijo.

11:44 da tarde  
Anonymous hope said...

Surpresa absoluta. fiquei sem palavras e digo-te que tambem eu começo a ficar sem adjectivos e a gastar os do costume!
Este post é genial , de uma sensibilidade tocante!
Consegues chegar ao mais intimo de todos nós.
tocas no cerne da questão criando uma historia fabulosa!

Parabens!
adoro a tua escrita e o teu blogg!

beijo lindo para ti!

12:40 da manhã  
Anonymous li@ said...

Um post diferente(?) daquilo a que me tens habituado. mas maravilhoso.
repleto de magia! é uma dadiva!

beijo doce.

1:49 da manhã  
Anonymous mac said...

E quantos de nós não estão de olhos bem fechados porque querem? Todos nós nos queixamos da vida, mas quantas vezes não estamos cegos perante o mundo que nos rodeia? Quantos de nós não fechamos os olhos às pequenas maravilhas que nos rodeiam? Se calhar precisava de haver uma epidemia de cegueira (como no "Ensaio da Cegueira") para melhor apreciarmos o mundo...

7:01 da manhã  
Anonymous Mafaldinh@ said...

sim...os adjectivos escasseiam.
corres todos os tipos de cronica... desde o humor corrosivo, a critica elaborada e superbem construida e hoje ...deixas-me assim a refletir profundamente sobre este soberbo post...
é magico.

beijo;)

10:30 da manhã  
Anonymous sentido de oportunidade said...

umpost unico! uma pequena(grandiosa) surpresa para aqueles que te visitam e te leem!
uma lição de vida!
gostei imenso.
Vou recordar e divulgar este post!

Um forte abraço.

11:39 da manhã  
Blogger Ana Melita said...

Que mais posso eu dizer?? Já disseste tudo neste post!!
Como no nosso dia a dia somos egoístas foi a conclusão a que cheguei!!

Adorei!!!

12:34 da tarde  
Blogger Diana said...

hmm..diferente dos outros posts..e fenomenal! juntaste um pouco de sonho à tua realidade crua.. adorei :) *

12:52 da tarde  
Blogger lisa said...

Olá paulo.
Li e reli o teu texto, está simplesmente deliciosooooooooo...

Voltarei, com toda a certeza.

Beijo daqui das minhas noites de lua cheia.

Ps:Posso te linkar?

1:20 da tarde  
Anonymous Thelostend said...

assino por baixo o comment da Diana!
Cada vez mais escasseiam palavras para te commentar.
tens o dom de acordar as mentalidades! de despertar os sentidos!

1:30 da tarde  
Blogger  said...

"O teu texto toca cá dentro" adoro, nem vou dizer mais nada... Beijo

2:54 da tarde  
Anonymous Pedro Gomes Souto said...

uma grande lição de vida! Este post fala da mais cruel realidade! Não o vou dissecar, porque ela fala naturalmente!
Paulo, continua a publicar e sobretudo a despertar-nos!
És verdadeiramente excepcional!

Um abraço

3:39 da tarde  
Blogger Ruby Sackville-Baggins said...

Hum, houve um dia alguém que me disse exactamente a mesma coisa, nessa tua última parte, em que corres a persiana para não "roubares a magia do momento" que não era teu. Afinal não tinhas o direito. Mas porque não? Afinal essa cena levou-te a ter um pensamento feliz, o teu primeiro beijo. Então valeu a pena. E se valeu a pena não foi um erro :)

Pronto, que coisa.

3:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Perturbou-me...
Não consigo escrever mais nada.

4:40 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Um pedaço de magia á solta.
um post realmente diferente e extremamente igual!
Usas a sensibilidade para pores a nu um grande e imenso problema.
adorei!

11:20 da tarde  
Blogger Ana said...

Gostei do teu blog, voltarei mais vezes.
Parabéns :-)

11:32 da tarde  
Blogger Catarina said...

" Há “coisas” maravilhosas que só sabem bem , que só nos excitam e embalam os sentidos , com os olhos bem fechados. Na cegueira. " ...

consegues tocar(-me) lá no fundo!

'só' adoro...!

beijinho*

12:19 da manhã  
Blogger Sophie said...

A Afinidade não é o mais brilhante, mas o mais subtil delicado e penetrante dos sentimentos. Não importa as impossibilidades.Afinidade é conversar sem trocar palavras. É olhar e perceber, é mais calar do que falar, ou, quando é falar, jamais explicar: apenas afirmar.
É conversar no silêncio, tanto nas possibilidades exercidas quanto das impossibilidades vividas.
Beijo enorme,
Sophie

1:04 da manhã  
Anonymous Daniela said...

Poderoso post! repleto de sensibilidade! é uma fantatstica lição de vida ! amei o jeito que o transmites!
Paulo.... és verdadeiramente um génio. Consegues tocar-me!

beijo

1:25 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

tenho lido muitos posts em imensos blogs.
tenho lido posts de gente que se julga "escritora" porque adoça palavras bonitas para engatar ...
e julgam-se os maiores..
O teu blogg foi me confidenciado por uma amiga e vim ver-te!
quero dar te os meus sinceros parabens!
o teu espaço é diferente!
Gostei da maior parte das cronicas e muito especialmente desta.
É soberba. Talvez nem todos os que a comentaram a perceberam na plenitude. Fala de coisas demasiado negras, porque nós enquanto sociedade não as aceitamos como uma normalidade.
Toca, porque é uma espada apontada ao coração. toca porque é uma realidade demasiado cruel.
Aplaudo-te vivamente. Tu és verdadeiramente alguem!
Parabens!

2:43 da manhã  
Blogger Marlene Maravilha said...

Há muita luz no texto, e inúmeras lições. Maria enxerga muito mais que todos nós. Descobriu-se por inteiro. Tem outros sentidos mais desenvolvidos e é anormal sim. Por ser mais sensível e fiel ao seu posto de observadora da intimidade cotidiana dos traseuntes ao seu redor, que vivem sem VER a si e aos outros.
Muito bom texto e inteligente.
Leva outros a pensar. Será que melhoram? Bem, pelo menos pensam.
Um abraço

3:49 da tarde  
Blogger missixty2000 said...

Isto é um conto, parece tão real!Eu até me chamo maria também!Está muito bom, devias publicar!
Realmente há coisas que só de olhos fechados as conseguimos viver, se os abrirmos perdem toda a magia!
Belo texto, cada vez me sinto mais preveligiada de teres ido ao meu blog, permitiu-me ficar a conhecer o teu belo espaço!
beijos, muitos
susana maria

8:03 da tarde  
Blogger Em busca de Felicidade said...

Estiveste ao teu mais alto nivel!!!
Parabêns.

Voltarei.

11:10 da tarde  
Anonymous Paulo J. Pires said...

Parabens! este post revela toda a tua imensa genialidade!
A facilidade com que corres diversos temas e estilos.
Este post é de uma sensibilidade tocante e de uma luz brilhante!
Partilho os comments, porque eles no seu todo refletem o post.

um abraço

11:29 da tarde  
Anonymous Kika said...

fabuloso post!
de uma grandeza de sentimento e de uma lucidez de conteudo!
obrigado pela partilha Paulo.
um beijo;)

12:17 da manhã  
Blogger Utzi said...

Vejo que cumpriste a promessa em todo o seu esplendor :)... ainda que, mais uma vez, não tenhas contido a tua veia mais crítica, que vejo pulsar aqui e ali neste texto... ;) mas gostei, muito mesmo. Parabéns *

10:19 da manhã  
Blogger Sandra said...

Nem sabes como este texto me tocou... Muito Bonito!! Adorei!!!

Obrigado pela visita!!
Gostei do teu blog e Voltarei!

Beijoca e Boa Semana!! :)

11:06 da manhã  
Blogger Em busca de Felicidade said...

Não sei se é veridico, de qualquer forma, é espectacular...

Não sei mais o que dizer...
Prefiro o silencio, que por vezes diz mais que mil palavras.


Bjos

12:04 da tarde  
Blogger Bel said...

A perspectiva do conto é linda porque às vezes só e sozinho não tem o mesmo significado.
Boa semana

1:16 da tarde  
Blogger Tiago said...

Bem, continua assim, temos de continuar a lutar pela igualdade! Não só de direitos, mas também de tratamentos! Lol, muito bom!

2:05 da tarde  
Anonymous Yaris said...

post profundo e tocante. Com uma força que so tu poderias por e transmitir.
Não te nego, que saí do balanço e medito sobre ele.
obrigado!

2:29 da tarde  
Blogger an ordinary girl said...

Eu.... amei!
E, acontece-me pouco: amar.

A ti, aprecio-te. Muito.
E, agradeço-te o "calor humano neste enregelado lugar".

Um beijo tb caloroso, para ti.

2:43 da tarde  
Anonymous LL.Cool.L said...

aplaudo vivamente o teu génio!
este post substancialmente diferente ( e fabulosamente igual...)ao que me tinhas habituado, é uma dádiva á vida!
de ambos os lados da barricada.

Parabens!

um abraço

4:48 da tarde  
Blogger Vampiria said...

Bolas!lindo, nao sei o que me perturbou mais, se a realidade grave da cega, se a história em si...o contador de histórias está para ficar e encantar :)

4:54 da tarde  
Blogger Ana said...

Há coisas que nos marcam... Que mudam a nossa forma de percepcionar a vida!!! Esta conversa de café parece ter surtido esse efeito...Pelo menos faz qualquer um pensar!!!
Mais uma vez belo texto!!

5:52 da tarde  
Blogger lusoblogger said...

Cinematografico.

parabens!

10:44 da tarde  
Blogger Sea said...

Agradeço-te a visita no Place.
Mais do que ver, é preciso sentir.
Um beijo

11:56 da manhã  
Blogger MalucaResponsavel said...

Ola,
para alem de eu ter o pessimo habito de beijar de olhos abertos e fzr amor tb... adr o teu txt. bj

7:53 da tarde  
Blogger Alan said...

Paulo, aproveitei que tive um tempo para descobrir os outros posts do seu blog. Adorei esse aqui da Maria...no final de semana lerei mais alguns.
Pode me contatar atraves do meu blog, ou se quiser, atraves de e-mail tambem: alan.de-paulo@mailhec.net
Um abraco.

11:31 da manhã  
Blogger Sunshine said...

As vezes é preciso um "cego" para nos ensinar a ver... porque olhar olhamos todos mas ver... esquecemos muitas vezes de ver, como também esquecemos de cheirar, de escutar, de saborear, de apreciar... de apenas ser.
È triste ser roubado de um dos nossos sentidos, porque de certeza torna-se uma obsessão de quem não a tem. Ao mesmo tempo... acho uma dádiva a quem depende nos seus restantes sentidos porque são apurados, e por distinguirem a realidade de outra forma.
Adoro meditar, de sentir o mundo com o coração em vez dos sentidos... quando sinto com a alma, parece-me tudo mais intenso... o azul do seu, o cheiro do mar, o molhado da água...
Lá estou eu me perdendo em pensamento... quando devia de estar a elogiar o que escrevestes!
Sim porque vistes além do olhar, e soubestes tirar a essência do momento e escrever-la de tal forma que todos conseguem sentir-la.
Parabéns.

10:49 da tarde  
Blogger Sofia said...

Excelente! Tou abismada com o que leio. Juro ;).
Que cega que eu andei, como aind nao te tinha descoberto?
Obrigado por me mostrares a luz!

6:37 da tarde  
Blogger Elisheba said...

Excelente! A ultima frase, então, de uma verde sem igual! Penso muitas vezes nessa situação, que os cegos não são "os infelizes" que pensamos. Ao não ver, não se corrompem tal como nós!Vivem pelos seu sentidos interiores,pela alma, não pelo que pode avaliar a visão, tantas vezzes distorcida e que nos torna uns valentes.....


Ufff...cala-te boca!

5:40 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Exelente!


Susana Flores

5:59 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Enjoyed a lot! »

9:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Very nice site! »

2:19 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Hoteis
Contador acessso
Medical Billing Software
Medical Billing Software