No interior do Norte

Desculpem.... mas este blog é apenas para pessoas inteligentes! Se não é o seu caso, peço lhe suavemente que se retire. Desculpe o incómodo!

segunda-feira, outubro 8

SOLIDÃO

Post oferecido a Mac (pela sincera amizade)




Mudei de corpo e de varanda.
Já não sou o mesmo.
enfadei de estar sempre dentro de mim e fumar cigarros no mesmo espaço.
A vida pede-me mais.
E esta laje já esta morta, do peso do meu corpo.
A luz ínfima, que meus olhos condenados vislumbram…já me não seduz….
Canso-me….
Meus cabelos vão se tornando geada de tanto Inverno….
Ao fundo, passa gente.
Toda a gente!
Por vezes em pinga de orvalho…outras vezes mares ou rios….
Mas já ninguém levanta a cabeça….
Sabem de cor quantas beatas traziam baton perdidas na calçada….E não viram a cor dos olhos do encontrão….
Lá debaixo, já ninguém me acena!
Mas sabem das minhas beatas….
Beatas de rico, vociferam, matutando na sua miséria e esquecendo a minha….
E seguem na corrente. Ninguém larga âncora….Ninguém amara…
Aos poucos, a serrania fria de betão, impõe o quadro…e até o correr das nuvens é cinza…
Já não vejo as fragas que me protegiam…
O fumo agreste do meu cigarro vira nevoeiro….E tudo fica mais sério….
Mais pesado que a chuva de dor que cai dos olhos…
Deus….
Deus é um pedaço de carne com que se faz guisado…
De tanta súplica….
Ou a ânsia de um carro melhor….e invoca-se o seu nome para amenizar a mentira….
Já ninguém se toca…
Agredimo-nos com o corpo….
A noite chega e amordaça os gritos…
No gelo das trevas, nada nos aquece …
Fica este peso no estômago que não sai… o desespero da carícia que não chega.
Masturbamo-nos vezes sem conta.
No pó do sofá…
O orgasmo parido no estertor, já só mancha a alma…
E nada mais.

Algures, por lá destes telhados decrépitos, existe o Norte.
Adeus.

.......

Sugestão musical :When the music is over - The doors

Sugestão cinéfila : Babel - Alejandro Gonzales Iñarritu


44 Comments:

Blogger Erotic Spirit said...

Such sad lonely lines... It disturb me...

big hug to the lonely one
:)

5:19 da tarde  
Blogger _E se eu fosse puta...Tu lias?_ said...

Toquei sem agredir essa solidão
que descreves como tua e intima
também eu a senti de alma e coração
é sensação dolorosa mas legitima

Um saravá cheio de cor
para que o norte
esteja sempre direccionado


***********************************

5:29 da tarde  
Blogger mac said...

O Norte existirá sempre, independentemente do betão que teima em nos sufocar, independentemente da imprevisivilidade da vida. O Norte consegue superar até o Caos que se gera.
Adeus? Não, meu amigo. Até sempre. E que o Norte esteja sempre connosco.

5:34 da tarde  
Blogger Andreia do Flautim said...

Olá! =)

Uma boa semana para ti!

beijinho!

6:36 da tarde  
Blogger Erotic Spirit said...

U r leaving me curious! lol lol
feels like know each other for years... I just started reading your blog and u stamble on mine very new blog just as recent! Either u do know me or not... come on cough it up

:)

8:14 da tarde  
Blogger Maria said...

Prefiro entender-te como estando num dia NÃO.
Abre os olhos, à tua volta continua o mundo a girar.

Adeus? Não. Até já.
Um abraço

9:21 da tarde  
Blogger Luna said...

Parece-me que o post foi escrito num dia mais fragil para ti, espro estar enganada...
mesmo assim força...
beijooo

10:48 da tarde  
Blogger MalucaResponsavel said...

"Algures, por lá destes telhados decrépitos, existe o Norte." - no meu caso n é apenas em sentido figurado. (posso roubar-te esta frase????) bj

12:28 da manhã  
Anonymous hope said...

Doloroso!
Um post que nem eu julgava possivel.
Muito sinceramente penso que tentas transmitir uma mensagem e não uma partilha.
Na minha interpretação,penso ser a crueza de varias realidades!
Atinges me violentamente!
Vezes sem conta te visito e não é segredo o quanto admiro a tua escrita.
Mais uma vez te peço, para voltares sempre!
Leio imensos bloggs, mas o teu é unico!
Excepcional!

10:31 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Retrato cruel de vidas!
Um texto em forma de punhal.
Que violento se crava em nós.

11:33 da manhã  
Blogger Sofia said...

Este post apesar de nao me ter sido oferecido, até parece que o foi. Por momentos pensei que o fosses o gato da vizinha que passeia na varanda em frente a mim e que viesses deste modo revelar a minha solidão.

Mt bom!

bjs

3:22 da tarde  
Blogger Sofia said...

Amigo,

obrigado pelas tuas palavras. Sei bem que estás aí! E isso é muito reconfortante.

E tens toda a razão, às vezes a culpa da nossa solidão é de nós mesmos que nos "fechamos" para tanta coisa.

Confesso, que apesar de nos conhecermos só através das palavras que vamos soltando, te considero (desde sempre) um amigo. Nem sei bem porquê! Ás vezes a net tem destas coisas.

Retribuo o beijo. Um sorriso. E um olhar humedecido. ;)

6:19 da tarde  
Blogger Irritadinha said...

Lindissimo...

(já lá está a resposta... ou melhor... duas)

6:27 da tarde  
Anonymous x@n@ said...

A solidão descrita de uma forma perfeita.

Já ninguém se toca…
Agredimo-nos com o corpo….
A noite chega e amordaça os gritos…
No gelo das trevas, nada nos aquece …
Fica este peso no estômago que não sai… o desespero da carícia que não chega.
Masturbamo-nos vezes sem conta.
No pó do sofá…
O orgasmo parido no estertor, já só mancha a alma…
E nada mais.

Por mais doloroso e lucido que seja o post não deixa de ser prova da tua genialidade!
Meus sinceros parabens!
Fiquei triste pela "maluca" te ter roubado aquela frase!

"Algures, por lá destes telhados decrépitos, existe o Norte."
Não imaginas o que ela significa para mim!
Tocou-me bem no fundo!

Um beijo para ti Paulo

6:27 da tarde  
Blogger Sol da meia noite said...

Texto que fala sem pudor de realidades nuas e cruas. A vida tal qual ela é!
Estado de alma...

Obrigada pela visita.
Beijos!

10:16 da tarde  
Blogger Fernanda Passos said...

" o orgasmo parido no estertor, já só mancha a alma"

Tua poesia é linda Paulo. Recheada de metáforas. Acho até que já disse isso, mas é que me encanto mesmo.
Um beijo do Norte, do Brasil.
;)

3:33 da manhã  
Blogger R@Ser said...

Paulo...obrigada pela visita,
Bom o que mais posso dizer?
Quando li teu perfil..confeço que tive medo de entrar a tua casa...Mas como nada me intimida cá estou,sobre a tua postagem o que posso dizer é que:teu texto é sublime.
Bjim

4:27 da manhã  
Blogger kurika said...

Lindo este texto...cheio de emoções e ternuras vividas, sentidas...e algumas perdidas...

Um beijo cheio de carinho pelo norte...

10:07 da manhã  
Anonymous Julie said...

Uma viagem pelo reino da solidão!
Tens um dom (não é a primeira vez que to transmito- nem a unica) de nos levares a viajar nos teus textos.
usa mais vezes esse dom!

Continuo a aguardar que um dia publiques!
Será de certeza uma obra singular!

Um beijo (do sul...)

1:47 da tarde  
Blogger Lusófona said...

Olá Paulo! Tudo bem?

Isto parece mais um sino a bater em nossas cabeças dizendo que é hora de "acordar", hora de dar valor ao que merece ser valorizado, o nosso lado mais humano. Precisamos de afecto, de carinho, de amigos sinceros que se preocupam uns com os outros... essas mudanças começam dentro de nós, mas muitos parecem ter medo de mudar, medo de amar, medo de ser feliz e nada arriscam, nada mudam, e tudo fica a mesma coisa.. vazia, sem cor, sem sabor...

Adorei ler-te!

Beijos e fica bem

2:40 da tarde  
Blogger missixty said...

Parece haver tanto desalento e tristeza no que escreveste! Dizem que uma paixão dura exactamente 6 meses e depois...depois vem a rotina , o hábito e a monotonia!Mas muito pior que isso é não termos alguém a quem amarmos, sentirmo-nos cheios e vazios ao mesmo tempo! Tanta para dar e ninguém para o receber...
Anima-te, miss
Se precisares de apoio spanishwoman2@hotmail.com é o meu msn

2:44 da tarde  
Blogger Lara said...

tens o dom da escrita que mais me fascina...a que me consegue transportar à imaginação do que é descrito!

p.s:adorei o comentário no meu blog, fartei-me de rir ;)
beijo

3:06 da tarde  
Blogger Flôr said...

Oi amigo! :))

"Sinto-te" desanimado... desencantado com a vida! será??
Espera um pouco.. são fases... logo passará!!:)

Não te esqueças... a Flor está sempre aqui....


Mas não deixes este teu cantinho, please! :)

Flor com carinho

3:37 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Solidão....
Depois de ler todos os comments, vejo que nada posso acrescentar!
Foi tudo dito !

M.

4:29 da tarde  
Anonymous para la do mar said...

Segui um comentário teu num outro blogg. E deparo com algo que verdadeiramente não estava á espera!
Forte, amargo, cruel!!!
A realidade servida numa bandeja de luxo!
Sim o teu blogg é algo raro!
muitos parabens ao autor!
Voltarei com toda a certeza!

6:36 da tarde  
Blogger Ruby Sackville-Baggins said...

Não sei o que escreva em relação ao que escreveste... Já te mostraram, melhor que eu, o quanto "especial" tu és, aquilo que nos mostras.

Só espero que tenhamos sempre o privilégio de te poder ler.

PS. A t-shirt, à disposição :D

**

7:00 da tarde  
Blogger Jasmim said...

Que solidão...
fiquei arrepiada.
Força e espero que o sol entre em seu coração

7:40 da tarde  
Blogger vida de vidro said...

Nem todos têm essa capacidade de escrever palavras que nos dão um murro no estômago e nos arrastam para um mundo cinza de desencanto. Um texto excelente. **

10:46 da manhã  
Blogger Suspiros said...

Quando tudo parece mau, por vezes deparamo-nos com algo ainda pior... Gostaria de não conhecer esse amargo, o veneno que nos corrói, a maldade que transportou as últimas franjas de ingenuidade e de fé nas pessoas. Porém a vida é assim. Magoa. Dói. Mas persistamos! Tdo passa, tudo passa...

11:31 da manhã  
Blogger Rui Caetano said...

Temos de lutar contra a solidão que pode oprimir em qualquer ocasião das nossas vidas. Ó poema está muito bonito, mas demasiado sofredor. A solidão deve ser assim, desconheço porque felizmente nunca senti o peso dessa solidaõ.

12:00 da tarde  
Blogger Besnico di Roma said...

Um texto cheio de força, que vem um pouco ao encontro do que te escrevo.
Estive em Vidago, não te pude procurar, mas voltarei em breve.
Vai ao meu blog, tenho um texto sobre o nosso Vidago, que te dedico.
Um abraço camarada.

4:49 da tarde  
Blogger MEU DOCE AMOR said...

Aceno-te com um beijinho doce.

Obrigada pela visita.Gostei muito de te ler.

9:51 da tarde  
Blogger EMN said...

E não é que adoro o Norte???

Olá amigo,
Um texto muito simples, sentido e cheio de palavras escondidas nas entrelinhas.

Gostei, como sempre, desta tua maneira de te expressares. Comove-me.

Beijo grande amigo.

emn***

11:44 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Agredimo-nos com o corpo….
A noite chega e amordaça os gritos…
No gelo das trevas, nada nos aquece …
Fica este peso no estômago que não sai… o desespero da carícia que não chega.
Masturbamo-nos vezes sem conta.
No pó do sofá…
O orgasmo parido no estertor, já só mancha a alma…
E nada mais.

perdoa, mas tenho que citar de novo este trecho!
Das coisas mais belas e mais intensas que ja alguma vez li sobre o tema da solidão!

Quem es tu Paulo Santos?
Como consegues impor tanto em meia duzia de linhas?
So ao alcance dos iluminados!

Ana Melo.
Vila Nova de Gaia

1:00 da tarde  
Anonymous J:A:P.G. said...

Fantastico Blogg!
Este post mexeu comigo.

5:04 da tarde  
Blogger _E se eu fosse puta...Tu lias?_ said...

Miminho pa ti no meu blog*****

7:13 da tarde  
Blogger elsa nyny said...

Gostei muito de deslizar por estas tuas palavras!! LIndo, ewxcelente!

Entretanto há um novo desafio Por Darfur, vem ver se queres colaborar!

Beijinhos!

12:50 da manhã  
Blogger MalucaResponsavel said...

é oficial... roubei-ta (com autorizaçao e referenciada). obg. bj

1:35 da manhã  
Blogger MalucaResponsavel said...

algum prob, diz, eu tiro... :)

1:35 da manhã  
Blogger MalucaResponsavel said...

dp de roubado, certificado como um dos melhores momentos virtuais para mim. bj

12:29 da manhã  
Blogger Erotic Spirit said...

I have just discover your corner but it has become a must for me to read everything u write ... u r just a wonderful writer!

pass by the blog got an award there for u

kiss
:)

4:16 da manhã  
Blogger Lídia Amorim said...

sabe bem mudar...

1:08 da tarde  
Blogger Just an ordinary girl said...

Somos tantos os estranhos a partilharem a mesma solidão.
Cada um de nós a conta à sua maneira, mas a tua (maneira) comove-me de tão bonita.
Um beijo. Obrigada pela agradável companhia.

9:41 da tarde  
Blogger snull said...

"Não digas nada!
Nem mesmo a verdade
Há tanta suavidade em nada se dizer
E tudo se entender -
Tudo metade
De sentir e de ver...
Não digas nada
Deixa esquecer..."

(Fernando Pessoa)

6:05 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Hoteis
Contador acessso
Medical Billing Software
Medical Billing Software